quinta-feira, 9 de abril de 2009

De olhos fechados

Atravesso o teu caminho que conheço de cor e faço-o de olhos fechados evitando obstáculos que há muito identifiquei e aprendi a evitar como se duma intempérie se tratasse. Nessa tua rota de vida sei onde me perder e onde me encontrar entre cada caricia , cada lufada de prazer, cada suspiro leve, cada palavra sussurrada, cada beijo num murmúrio. A liberdade e o amor sempre andaram de mãos dadas connosco.... não me lembro de ter alguma vez invadido o teu espaço de forma rude, apesar de não prescindir de ti todos os momentos livres que tenho, talvez por esse motivo, também não me recordo de alguma vez me ter cansado de ti apesar de às vezes seres uma chata. É essa forma penetrante que temos de nos entender que retoma prazeres suaves, caminhos quentes, sabores exóticos e aprofunda os caminhos e os recantos de mim, Percebo-te na penumbra, entendes-me na escuridão, redescobrimos momentos sem fim, horas de te ter junto de mim. beijos caricias e gemidos, gritos de prazer, palavras que sabes de cor, mais do que eu conheço da vida antes de ti. Perco-me no emaranhado dos teus murmúrios e da tua paixão da ternura com que me olhas e na suavidade com que me tocas.

4 comentários:

DIFERENTE disse...

Muito bom!
Palavras para quÊ...

Ass: Diferente

mundo azul disse...

________________________________

Que jeito mais bonito de descrever um momento tão especial!

Belas letras!

Beijos de luz e o meu carinho...

_________________________________

Manuela Curado disse...

Há muito que te não lia.
Apaixonei-me de novo.
Pintura... será tua?!
É um encanto abrir o computador neste espaço em que por vezes nos perdemos... mas também nos encontramos...

Jose Leitao disse...

"...o amor é tão lícito quanto a vida, faz parte dela;a vida é imaginação,a imaginação recria sonhos, os sonhos comandam a vida...e assim se fecha o circulo de cada um e de todos os que colocam amor na paixão, a paixão no amor, o amor na amizade - há sempre um principio e um fim...
- Haverá?... "

Parabéns Pedro!

Um abraço e continua.

José Leitão